Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2008

"The Hudsucker Proxy"

 

 

O Belo Humor Coen

 

Premissa: Depois da morte do director da empresa Hudsucker, as acções desta estarão disponíveis para qualquer pessoa comprar. Para evitar perder a sua riqueza, os administradores decidem colocar um tolo como director, na esperança de baixar os valores das acções...

 

Veredicto: É mais do que certo e sabido que os Irmãos Coen se afirmaram como grandes realizadores de Hollywood. Dominam tanto comédia como drama, e possuem, além das soberbas qualidades técnicas, como a hábil maneira de filmar, um excelente sentido de humor.

 

"The Hudsucker Proxy" é uma das suas melhores comédias. Estes realizadores fazem uma crítica inteligente à ambição dos empresários, à ausência de escrúpulos da imprensa e a como um vulgar homem de bom coração pode ser iludido pelo sucesso. Além de inteligente, é imaginativo e com pormenores deliciosos, como os exageros da realidade a servir de caricatura, comuns em fábulas.

 

Essas pequenas caricaturas, como o carteiro que coloca as cartas na respectiva caixa-de-correio a grande velocidade, o fala-barato do elevador, o sinistro empregado que remove, e escreve, nomes nas portas dos escritórios, e o responsável por manter o relógio funcionar, que funciona como narrador dos destinos das personagens, e ao mesmo tempo, guardião destes, funcionam a favor do filme ao criar uma atmosfera de conto.

 

Mas existem momentos em que o "humor Coen", brilha, como é próprio das suas obras. Este surpreende pelo simples facto de ser, inesperado, original, simples e eficaz. Afinal, saber usar o humor com lógica, é uma dádiva pouco comum... 

Cenas como o suícidio do director da empresa, são retratos brilhantes de como a comédia pode agradar a intelectuais, e fazer rir o normal espectador, desde que o seu sentido de humor não se limite à idiotice.  

 

A sua grande comédia é "The Big Lebowski", mas ainda assim não existem motivos para considerar esta, uma obra menor na sua filmografia.

 

8/10

 

Memorable Quotes

 

Amy Archer: Is this guy from Chumpsville or what? Ha! I even pulled the old mother routine.
Smitty, Argus Reporter: Adenoids.
Amy Archer: Lumbago.
Smitty, Argus Reporter: [whistles] That gag's got whiskers on it!

 

Sidney J. Mussburger: When you're dead, you stay dead. Don't believe me, ask Waring Hudsucker.

 

Norville: You know, for kids.

 

Moses the Clock Man: I spects old Moses knows just about everything, leastways if it concerns Hudsucker.

 

 

publicado por RJ às 22:45
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 2 de Janeiro de 2008

"Transformers"

 

Mais do que parece à primeira vista...

 

Premissa: Parte de uma civilização de robôs, chegam à Terra com a missão de encontrar um cubo que os ajudará a reconstruir o seu planeta. Pelo meio cruzam caminho com Sam e a sua amiga Mikaela, dois jovens que têm a chave para a localização do cubo.

 

Veredicto: Nunca liguei muito aos bonecos ou aos desenhos animados, e para ser franco, pouco sabia sobre a história destes Transformers. As expectativas eram baixas da minha parte, afinal, analizemos esta premissa do ponto de vista óbvio: "Robôs que se transformam em automóveis e que vêm para proteger, ou destruir a Terra?". O típico "cenário Michael Bay".

 

Decidi no entanto dar uma oportunidade a um filme que quase toda a gente viu. Ainda que mais motivado pelos olhos da actriz principal do que pelos extraterrestres.

 

Verdade seja dita, é um excelente divertimento. História, personagens e diálogos profundos? Nah... Aqui não encontram disso. É o típico "filme pipoca", para deixar o lado inteligente do ser humano a descansar durante umas boas duas horas. 

Pelo meio os bonecos vão dizendo umas frases épicas tentando dar um ar profundo à coisa, mas "Transformers" não passa de um festival de efeitos especiais, mas um festival com qualidade!

 

No entanto, ainda que divertido, falha bastante na caracterização dos personagens. O espectador fica sem uma boa noção de "quem é quem", à excepção de Sam e Mikaela. 

Nota-se vontade de fazer dos robôs os personagens principais, mas se existe vontade, falta a concretização. Têm aparições demasiado curtas, sendo que é dificíl distinguir a maioria no ecrã.

São apresentados como um grupo de combate, que Michael Bay apenas usa para fazer voar carros e explodir coisas. Como personagens, são fracos, como instrumentos de destruição, são óptimos. E não seria isso o que o realizador pretendia?

 

Procuram reflectir? Existe um milhão de filmes melhores para tal tarefa. Procuram um filme para relaxar? Este é perfeito.

Um espectáculo de acção non-stop, onde Shia LaBeouf triunfa, convencendo-me cada vez mais de que fará um bom trabalho ao lado de Harrison Ford, e John Turturro deixa a sua marca.

Contudo, no meio de tanta pirotécnia, o melhor de "Transformers" é mesmo a fascinante, Megan Fox.

 

7/10

 

Memorable Quotes

 

Sam Witwicky: It's a robot. You know, like a super advanced robot. It's probably Japanese. Yeah, it's definately Japanese.

 

Agent Simmons: Mean little sucker, huh.
Maggie Madsen: That thing is freaky!
Agent Simmons: Kinda like the iddy biddy energiser bunny from hell!


Sam Witwicky: [begging his teacher to give him an "A"] Sir. Just ask yourself... What would Jesus do?

 

Sam Witwicky: 'More than meets the eye with you... ' That's a stupid line! 


Agent Simmons: Alright... Ok. Hey, you want to lay the fate of the world on the kid's Camaro? That's cool.

 

 

 

publicado por RJ às 19:05
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2007

"Die Hard 2"

 

O grande blockbuster de Natal

 

Premissa: O polícia de LA, John McClane volta a estar no sítio errado à hora errada, mas desta vez o ataque terrorista é feito a um aeroporto.

 

Veredicto: Bruce Willis sai do arranha-céus para o aeroporto, encarnando mais uma vez o polícia John McClane. E como é bom revê-lo.

 

A primeira aventura será sempre a minha preferida, mas não é por isso que as que se seguiram são menos boas! O assalto ao aeroporto tem explosões, adrenalina no máximo e o estilo oldschool de McClane do qual sou fã.

Quer sejam as suas piadas certeiras ou o facto de ser o típico herói apanhado no sítio errado à hora errada, McClane não poupa esforços para travar todas e quaisquer ameaças terroristas.

 

Não fosse a interpretação de Bruce Willis, e a saga "Die Hard" não passaria de um conjunto de filmes de acção, iguais a tantos outros. Felizmente não o é. É dos melhores divertimentos natalícios que podem encontrar, pois quantos filmes combinam de maneira tão eficaz, estilo, acção e o espírito desta altura do ano?

 

Nem todos os filmes de Natal fornecem uma reflexão profunda sobre o que quer que seja, e esta é a prova. Alguns deles, têm apenas de divertir. Contem comigo para ambos!

Yippie-kay-yay! 

 

8/10

 

Memorable Quotes

 

[McClane is forced to crawl through yet another ventilation system]
John McClane: Just once, I'd like a regular, normal Christmas. A little eggnog... a fuckin' Christmas tree... a little turkey. But, no. I gotta crawl around in this motherfuckin' tin can.

 

Holly McClane: Honey, this is the '90s. Y'know, microchips, microwaves, air phones.
John McClane: As far as I'm concerned, progress peaked with frozen pizza.

 

Grant: You're the wrong guy at the wrong place at the wrong time.
John McClane: Story of my life.

 

John McClane: Oh man, I can't fucking believe this. Another basement, another elevator. How can the same thing happen to the same guy twice?

 

 

publicado por RJ às 12:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 9 de Dezembro de 2007

"Groundhog Day"

 

 

Premissa: Phil Connors é um jornalista encarregue do boletim metereológico que viaja até uma vila para fazer a cobertura do Dia da Marmota (Groundhog Day), mas que, inexplicávelmente, fica condenado a viver esse mesmo dia, para sempre...

 

Veredicto: Nunca vos aconteceu acordar, ouvir aquelas músicas a passar na rádio, ver aqueles mesmos problemas no trabalho, as pessoas que não mudaram, e ameaçam nunca mudar?

 

Phil Collins acorda, numa longínqua vila na Transilvânia para fazer a cobertura das festividades do dia 2 de Fevereiro, Dia da Marmota.

Levanta-se, ouve a mesma música na rádio, cruza-se com as mesmas pessoas, que lhe dizem exactamente as mesmas coisas que disseram no dia anterior... Ele só tem um dia para viver, o 2 de Fevereiro, e quando acordar às 6 da manhã, o mundo à sua volta irá agir como agiu antes...

 

Este só tem uma hipótese: tornar aquele dia, cada vez melhor, torná-lo no melhor da sua vida porque é o único que lhe resta.

Conhecer a pouco e pouco a mulher que ama e amá-la, porque só tem um dia para o fazer. Quando acordar tudo voltará atrás e esse amor ter-se-á perdido, para Phill o conquistar novamente...

 

Ao contrário de Bill Murray, só podemos viver cada dia uma vez...

Só podemos amar uma pessoa uma vez, e cometer os erros que temos de cometer sem poder voltar atrás. Não vivemos para sempre em bons ou maus momentos, tudo é passageiro. Vamos desejar voltar a estar no calor de uma bela noite de Natal com a família, quando as dificuldades se aproximarem, mas sabemos que as dificuldades são o que tornam quentes esses momentos. E é por isso que temos de lutar.

 

Se este for o teu último dia, o que farás com ele? Chora, ri e ama, sem hesitações.

 

9/10

 

Memorable Quotes

 

Phil: Well, what if there is no tomorrow? There wasn't one today.

 

Rita: What did you do today?
Phil: Oh, same-old same-old.

 

Nurse: Sometimes, people just die.
Phil: Not today.

 

Phil: This is one time where television really fails to capture the true excitement of a large squirrel predicting the weather.

 

 

publicado por RJ às 18:29
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Quarta-feira, 28 de Novembro de 2007

"S1m0ne"

 

Premissa: Quando um realizador perde a actriz principal do seu filme, e vê uma das suas obras como candidata a nunca atingir o grande ecrã, resolve criar a actriz perfeita para o papel, virtualmente.

 

Veredicto: Esta é uma comédia que agradará a todos os que gostam de Cinema, já que, sendo esta arte uma ilusão, qual será a maior ilusão que nos oferece, ou poderá vir a oferecer?

 

No Cinema vêmos uma Visão que, por muito credível que seja, não é a realidade, e "S1m0ne" fala da maior de todas as ilusões que se podem criar na 7ªarte. Se os actores representam personagens, que, mesmo que baseadas em pessoas que foram ou são reais, a visão proporcionada por um filme é isso mesmo, uma visão, e se os actores não existissem?

 

Victor Taransky, interpretado pelo inspirador Al Pacino, quebra as barreiras e, recorrendo a um programa recentemente descoberto, faz nascer uma estrela, do Nada. Mas o maior problema de todos, é que essa bela mulher que não existe, se torna mais credível e humana do que a maioria dos actores.

S1m0ne faz mover o mundo. E Taransky recusa-se a contar a verdade, recorrendo às mais extraordinárias medidas para que esta não venha ao de cima.

 

Mas estará o realizador condenado a ser controlado pela sua criação? Nem quando este desiste e tenta destruir a carreira da suposta actriz, consegue abalar o amor que o público lhe tem. Algumas estrelas, estão destinadas a brilhar para sempre.

 

Um filme que vos cativará do princípio ao fim, sem qualquer dúvida. Sobre os patamares a que esta amada arte se poderá elevar, e sobre a relação das estrelas, com o sentido de fazer Cinema.

 

7.5/10

 

Memorable Quotes

 

Viktor: Our ability to manufacture fraud now exceeds our ability to detect it.

 

Viktor: I made her.
Elaine: No, Viktor. She made YOU.

 

Simone: I guess what I like most about my movies is that they're not about special effects.

 

Viktor: Creative differences? The difference is, you're not creative.

 

Viktor: You know, it's easier to fool a hundred thousand people than just one.

 

 

 

publicado por RJ às 20:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 4 de Novembro de 2007

"Sleepy Hollow"

 

Premissa: O detective Ichabod Crane é enviado até Sleepy Hollow para desvendar uma série de crimes causados pelo aparecimento do lendário Cavaleiro Sem-Cabeça.

 

Veredicto: Comecemos por falar no elenco. "Sleepy Hollow" conta com um leque de bons actores formidável, onde podemos encontrar Johnny Depp, Christina Ricci, Michael Gambon, Ian McDiarmid, Miranda Richardson, Richard Griffiths e as curtas aparições de Christopher Lee, Martin Landau e Christopher Walken, um homem de poucas, ou nenhumas, palavras. No entanto, se pensam que a qualidade do filme fica pelo elenco, meus amigos, como estão enganados.

 

Tim Burton cria uma atmosfera de pesadelo, sem cor, onde predominam paisagens negras cobertas de nevoeiro.

No fundo, é uma homenagem única e apaixonante ao cinema de terror, que ao contrário da maioria dos filmes criados para causar arrepios, fica na memória de qualquer cinéfilo.

 

Johnny Depp interpreta de forma notável um personagem que marca outra das mui interessantes reflexões vindas da mente de Burton, o confronto da religião e da ciência. Ichabod Crane entra na misteriosa vila de Sleepy Hollow decidido a provar que os crimes nada têm a ver com bruxas ou cavaleiros do outro mundo, mas está condenado a mudar de ideias quando a série de crimes horrendos causados pelo Cavaleiro continua, começando a esquecer a sua visão cientificamente correcta da vida...  

 

Mais do que um simples filme de fantasia, outra prova dos dotes de Tim Burton como artista no campo visual.

 

9/10

 

Memorable Quotes

 

Reverend Steenwyck: Their heads weren't found severed. Their heads were not found at all.
Ichabod Crane: The heads are... gone?
Notary James Hardenbrook: Taken. Taken by the Headless Horseman. Taken back to hell.

 

Lady Van Tassel: Watch your heads.

 

Young Masbath: Is he dead?
Ichabod Crane: That's the problem. He was dead to begin with.

 

Ichabod Crane: It is truth, but truth is not always appearance.

 

 

publicado por RJ às 12:00
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sábado, 20 de Outubro de 2007

"Shooter"

 

Premissa: Swagger é um atirador profissional que se reformou após a morte de um amigo no cumprimento de uma missão. Agora, devido aos seus talentos, é chamado para evitar que o Presidente dos EUA seja morto, mas é transformado no culpado pelo atentado e iniciará agora a sua vingança...

 

Veredicto: Este foi um filme que me escapou na sala de cinema, talvez por pensar que seria um típico filme de acção sem argumento inteligente, que apenas servisse como desculpa para comer pipocas, como tinha ouvido tantas críticas afirmar. Foi por isso que, ao vê-lo agora em DVD não lhe guardava muitas expectativas, mesmo tendo em conta que Antoine Fuqua é um bom realizador, e Mark Whalberg um excelente actor.

 

Não podia estar mais enganado. "Shooter" está para mim ao nível, pelo menos dos primeiros filmes, (ainda não tive oportunidade de visualizar o terceiro) da saga do já bastante popular Jason Bourne.

Se esperam ter apenas um filme de acção, enganem-se, pois é efectivamente um filme de acção, mas por detrás das explosivas, e bem filmadas, sequências de acção, está um argumento inteligente, um bom protagonista e um extremamente bem planeado jogo do gato e do rato.

 

Ao contrário da maioria dos filmes, este não se limita a atribuir as "culpas" a uma qualquer agência governamental, fazendo tudo "sem mais nem menos", não, as pontas da conspiração são ligadas e a crítica àquilo que o governo faz, sem que os olhos dos populares descubram é inteligente.

 

Mais do que um divertimento, um óptimo thriller sobre a "teoria da conspiração".

 

8/10

 

Memorable Quotes


Senator Charles F. Meachum: There are no sides. There's no Sunnis and Shiites. There's no Democrats and Republicans. There's only HAVES and HAVE-NOTS.


Senator Charles F. Meachum: Are you out of your mind? Are you out of your damn mind? I am a United States Senator!
Bob Lee Swagger: Exactly.

 

Attorney General Russert: Coronel, your moral compass is so fucked up, I'll be shocked if you manage to find your way back to the parking lot.

 

Bob Lee Swagger: You don't understand how serious this is. They killed my dog.

 

 

 

publicado por RJ às 00:08
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 29 de Setembro de 2007

"Stranger Than Fiction"

 

Premissa: Harold Crick é um homem cuja vida começa a ser narrada por uma escritora que anda a trabalhar no seu novo romance, narração essa que apenas Harold consegue ouvir e que começa a afectar a sua vida.

 

Veredicto: Desde sempre que o Homem se questiona sobre o seu propósito neste mundo. Haverá um grande plano, ou seremos pura e simplesmente... uma insignificância?

 

Harold é um simples Homem que se encontra com todas estas questões, da forma mais improvável, quando uma escritora começa a escrever sobre uma pessoa, que, por grande coincidência, é ele!

 

Will Ferrel, que normalmente pode ser encontrado em comédias com pouco jeito para fazer rir, arranca aqui aquela que é a melhor interpretação da sua carreira, numa história que não cai em humor fácil, e que de forma extremamente original te pode pôr a reflectir, sobre inúmeras questões.

 

Alguém que enfrenta o seu destino, que mesmo sabendo o que o aguarda continua a caminhar a sua sinuosa estrada, não é alguém que merece viver? E a capacidade de aceitar o que nos espera inevitavelmente, não é das grandes virtudes do ser-humano?

 

Estará o nosso destino a ser controlado por um escritor que se encontra num plano bem acima de nós? E não seremos nós no fundo, os escritores das vidas de todas as pequenas coisas que vivem tranquilamente abaixo dos nossos pés?

 

8/10

 

Memorable Quotes

 

Harold Crick: You don't understand that this isn't a story to me, it's my life! I want to live!

 

Dr. Jules Hilbert: Because he's real?
Kay Eiffel: Because it's a book about a man who doesn't know he's about to die. And then dies. But if a man does know he's about to die and dies anyway. Dies- dies willingly, knowing that he could stop it, then- I mean, isn't that the type of man who you want to keep alive?

 

Kay Eiffel: [narrating] And so he did what countless punk-rock songs had told him to do so many times before: he lived his life.

 

 

 

 

publicado por RJ às 22:29
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 20 de Setembro de 2007

"Big Fish"

 

Premissa: Edward Bloom é um homem que contou toda a sua vida por meio de histórias fantásticas, em que o seu filho Will não acredita. Então, na altura em que Edward se encontra perto de morrer, Will quer desvendar a verdade sobre a vida do seu pai, que pensa nunca ter conhecido...

 

Veredicto: Uma aventura tão grande como a própria vida, sem dúvida.

 

Apesar de não contar com personagens de contornos "negros", "Big Fish" tem personagens igualmente memoráveis, e é realmente um filme encantador.

 

Através de pequenos contos repletos de magia, Burton vai-nos dando pequenas lições deliciosas e plenas em sabedoria sobre a Vida, que no seu conjunto formam um filme, grandioso como o mistério que é, o sentido da existência.

 

A coisa que mais aprecio no Cinema é o o facto de, através desta arte, um bom contador de histórias conseguir fazer-nos chorar, sorrir e emocionar. Os filmes que realmente significam alguma coisa, mesmo que seja uma mensagem diferente consoante a pessoa, são histórias que nos modificam enquanto pessoas, que modificam a nossa forma de ver o mundo em nosso redor. O Cinema que nos faz querer olhar todos os que conhecemos, e o que nos rodeia com outros olhos.

Obras, como "Big Fish".

 

A missão do Cinema é contar histórias. E torna-se mais do que uma simples arte, quando essas histórias, significam mais do que simples palavras.  

 

10/10

 

Memorable Quotes

 

Young Ed Bloom: There comes a point when any reasonable man will swallow his pride and admit he made a mistake. The truth is... I was never a reasonable man.

 

Young Ed Bloom: You don't know me, but my name's Edward Bloom... And I love you.

 

Will Bloom: Everybody's there, and I mean everybody. And the strange thing is, there's not a sad face to be found, everyone's just so happy to see you.

 

Will Bloom: A man tells his stories so many times that he becomes the stories. They live on after him, and in that way he becomes immortal.

 

 

 

   

 

 

publicado por RJ às 18:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 13 de Setembro de 2007

"Tim Burton's Corpse Bride"

 

Premissa: Passada no Século XIX, esta é a história de Victor, um rapaz a quem os pais marcaram o casamento contra a sua vontade, e que, ao dizer em voz alta os seus votos na floresta, acaba casado com uma noiva vinda... do outro mundo!

 

Veredicto: Saído da mente do genial Tim Burton, este é sem dúvida um dos mais geniais filmes de animação dos últimos anos.

 

A nível técnico, é formidável. Cada pequena imagem foi trabalhada até ao mais pequeno pormenor, com extremo cuidado e dedicação, com resultados magníficos, que nos mostram um universo paralelo, como apenas Burton poderia mostrar.

Todas as sequências são elaboradas com um carinho especial, sendo técnicamente, irrepreensíveis, com destaque para as maravilhosas cenas músicais.

 

Deste os pequenos pormenores, até aos personagens e à história, "Tim Burton's Corpse Bride" é brilhante. O realizador elabora um retrato fantástico que inspira amor, do nosso mundo, seja através de pequenas caricaturas ou da própria cor, que torna o "nosso" mundo mais sombrio do que o "outro".

 

O filme é por isso uma pérola da animação, e mais um retrato de um amor impossível, com uma magia especial, uma magia que me faz vir à memória a magia dos clássicos dos estúdios Disney.

 

Um clássico instantâneo.

 

9/10

 

Memorable Quotes

 

Barkis Bittern: Can a heart still break after it's stopped beating?

 

Elder Gutknecht: Why go up there when people are dying to get down here?

 

Finnis Everglot: Fetch me musket!

 

The Corpse Bride: I've been in the darkness for so long, I've almost forgotten how beautiful the moonlight is.

 

 

 

 

publicado por RJ às 16:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. 19 seguidores

.pesquisar

.Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. "Batman Returns"

. "Predator"

. "Cloverfield"

. "The Fly"

. "Night At The Museum"

. "About Schmidt"

. "Planet Terror"

. "eXistenZ"

. "Training Day"

. "Fear and Loathing in Las...

.arquivos

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds