Sábado, 4 de Fevereiro de 2012

Não há palavras que o descrevam

 

Corram imediatamente para o cinema! "The Artist" é um dos grandes eventos cinematográficos do nosso tempo, possivelmente O maior evento cinematográfico da década!

Corram, porque irão lamentar se não o virem no grande ecrã, quando daqui a uns anos os vossos netos vos perguntarem "como foi, quando o "The Artist" estreou?".

 

Trata-se de autêntica beleza cinematográfica, daquela beleza cinematográfica que só um regresso ao passado nos podia proporcionar.

Por um fim-de-semana, deixem de lado os filmes-pipoca e voltem a tratar a sala de cinema como um santuário, por favor. É essa beleza que este filme traz de volta, é essa admiração que este filme merece.

 

 

 

publicado por RJ às 20:21
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Dezembro de 2011

Neon-Noir

 

Estou de regresso!

E que melhor forma haveria de regressar, do que para comentar aquele que já é para mim, O acontecimento cinematográfico do ano? Falo de "Drive", um filme que só pode vir a adquirir um estatuto de culto ao nível do de um "Fight Club".

É o noir dos tempos modernos, feito com uma coolness tão natural como as melhores deixas de um argumento do Quentin Tarantino.

 

Ainda estou a tentar absorver a dimensão daquilo que é "Drive", seguir-se-ão mais pensamentos amanhã.

 

 

 

publicado por RJ às 22:30
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 23 de Outubro de 2011

Reacção de Kurt Russell ao remake do "The Thing"

 

Como eu o compreendo...

 

 

 

tags:
publicado por RJ às 23:25
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 22 de Julho de 2011

Temos anões!

 

 

Aqui estão reunidos os treze anões (neste post só couberam sete), do "The Hobbit", que com a ajuda de Bilbo Baggins e Gandalf o Cinzento, tentarão recuperar o seu reino e os seus tesouros das mãos (ou melhor, patas), do dragão Smaug.

 

Como o próprio Peter Jackson reconhece, uma das grandes dificuldades em adaptar a prequela do "The Lord of the Rings" ao grande ecrã é o facto de, além do hobbit do título e de um certo feiticeiro de chapéu bicudo, o filme ser protagonizado por nada mais nada menos do que TREZE anões.

Nos livros, os anões são descritos como sendo muito parecidos uns com os outros, baixos e barbudos, sendo mesmo dificíl distinguir o anão macho do anão fêmea (que muitas vezes é igualmente barbuda), o que coloca grandes desafios quanto a como retratá-los no grande ecrã. Seria tolo fazer treze personagens extremamente parecidos mas vestidos de cores diferentes, por exemplo. E além de ser necessário fazer com que o espectador os consiga distinguir uns dos outros no ecrã, é necessário fazer o espectador importar-se com o que lhes acontece. Com tantos anões não seria difícil que não se desse pela falta de dois ou três.

Portanto, dois desafios, o retrato visual e o da personalidade. Por enquanto, apenas podemos comentar o primeiro.

 

Na saga dos anéis havia apenas um anão, o fantástico Gimli, que por ser o único representante da sua espécie em toda aquela epopeia, foi retratado como o anão típico. Depois, em termos de personalidade foi maravilhosamente interpretado pelo John Rhys-Davies, e estabeleceu desde cedo uma excelente relação com o espectador, através da amizade formada entre ele, Legolas e Aragorn, (três povos da Terra-Média unidos).

Com treze anões à sua disposição e a difícil tarefa de os tornar facilmente reconhecíveis, Jackson pôde criar variações do protótipo do anão, mantendo os elementos-chave da sua raça.

O líder, Thorin (o anão central), evidencia imediamente características de guerreiro determinado e orgulhoso, e é capaz de se tornar o herói de acção do grupo. Depois temos variações mesmo dentro dos anões mais velhos (com destaque para Balin, o da barba branca à Pai-Natal e Gloin, que se percebe logo ser o pai de Gimli, o segundo a contar da esquerda na imagem do post), mas onde surgem as maiores diferenças é entre os mais novos. O primeiro a contar da direita na imagem completa, Kili, é a mais clara, e deverá ser o elo de ligação à camada feminina mais jovem da audiência, o que se compreende devido à falta do Orlando Bloom entre os protagonistas. Apresenta ainda umas influências élficas (o arco e flechas), que me deixam curioso. Será este um anão mais tolerante em relação a elfos, que tenta fazer a ponte entre as duas culturas?

Colocar treze homens barbudos ao lado de um homenzinho de pés peludos e de um velho ancião como protagonistas, dificilmente chamaria a atenção feminina, e o livro não tem nenhuma mulher, por isso é apenas natural que se tente tornar um ou dois anões mais chamativos para essa secção da plateia, e que se adicione uma personagem feminina, como já foi anunciado. Trata-se de uma elfo chamada Tauriel, interpretada pela Evangeline Lilly, o que cria também interesse da secção masculina, claro.

 

Parece-me que Peter Jackson tomou a abordagem certa. É um grande feito, conseguir individualizar no grande ecrã um grupo que facilmente seria demasiado homogéneo, e estou convencido de que Jackson o conseguirá fazer.

Estamos a caminho de um glorioso regresso à Terra-Média.

 

 

publicado por RJ às 23:50
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 1 de Julho de 2011

"The Hobbit" começa a ser mesmo real

 

Ainda me custa a acreditar que vamos mesmo regressar à Terra-Média no Natal de 2012. Depois de tantas falsas partidas, parte de mim continuava a suspeitar que não tarda nos revelavam que este início de filmagens era a fingir.

Felizmente, foram divulgadas as primeiras imagens oficiais do filme, sendo que as últimas podem ser encontradas no próximo número da Empire inglesa, que visitou pela primeira vez o set do filme. Incluem o primeiro olhar ao Bilbo de Martin Freeman e a Gandalf:

 

 

 

 

 

 

(em tamanho grande aqui!)

 

 

 

tags:
publicado por RJ às 21:44
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 14 de Junho de 2011

Epifanias ao pequeno-almoço

 

Pumpkin: Forget it. Too risky. I'm through doing that shit.
Yolanda: You always say that. That same thing every time, "I'm through, never again, too dangerous".
Pumpkin: I know that's what I always say. I'm always right, too.
Yolanda: But you forget about it in a day or two.
Pumpkin: Yeah, well the days of me forgetting are over, and the days of me remembering have just begun.

 

 

 

Jules: I'll just walk the earth.
Vincent: What'cha mean walk the earth?
Jules: You know, walk the earth, meet people... get into adventures. Like Caine from "Kung Fu."

 

 

("Pulp Fiction", 1994)

 

 

 

publicado por RJ às 21:11
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Março de 2011

Hobbit begins

 

As filmagens dos dois filmes do "The Hobbit" começaram, e para garantir aos fãs que desta vez é mesmo a sério, Peter Jackson tirou umas fotos no set.

 

Ou seja, começou finalmente a viagem de regresso à Terra-Média.

 

 

 

publicado por RJ às 10:41
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 5 de Março de 2011

A arte da fuga

 

 

Virginia Woolf: You cannot find peace by avoiding life, Leonard.

 

 

("The Hours", 2002)

 

 

 

publicado por RJ às 00:59
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Novembro de 2010

Harry Potter chega à idade da excelência

 

"Harry Potter and the Deathly Hallows - Part I" é mesmo, mesmo, mesmo espantoso.

Tal como o último livro mudou completamente a saga e a fez dar um grande salto em qualidade, esta primeira parte desse épico final faz o mesmo à saga no Cinema. Os receios eram muitos, dado que a estreia de David Yates com o quinto filme deixou a desejar e fez desse "Order of the Phoenix" o elo mais fraco, e por isso, mesmo tendo em conta a enorme melhoria no "Half-Blood Prince", continuava um pouco de pé atrás. Acabei por ter uma enorme e muitíssimo agradável surpresa.

 

Fez-se magia.

 

(texto completo amanhã)

 

 

 

 

publicado por RJ às 18:29
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

O destino não importa

 

Mal: You're waiting for a train. A train that will take you far away. You know where you hope this train will take you, but you can't be sure. Yet it doesn't matter - because we'll be together.

 

("Inception", 2010)

 

 

 

publicado por RJ às 00:09
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

.Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Não há palavras que o des...

. Neon-Noir

. Reacção de Kurt Russell a...

. Temos anões!

. "The Hobbit" começa a ser...

. Epifanias ao pequeno-almo...

. Hobbit begins

. A arte da fuga

. Harry Potter chega à idad...

. O destino não importa

.Filme da Semana

Uploaded with ImageShack.us

.arquivos

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds