Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2006

The Prestige

 

Premissa: Dois mágicos amigos, iniciam uma rivalidade para descobrir o segredo do maior truque de magia de sempre... rivalidade essa que ultrapassa os limites e se torna, numa batalha...

 

Veredicto: "The Prestige", um dos filmes mais esperados do ano por muitos amantes de Cinema, como o meu caso, e chegou hoje às salas. E a minha expectativa com este filme era alta, de tal modo que o fui ver na estreia, e, posso já adiantar, não saí, mesmo nada desiludido.

Talvez o filme tenha sido, e venha a ser um pouco ignorado pelo comum dos espectadores, devido a não ser um filme muito comercial, apesar de ter um elenco de estrelas, à semelhança de "Children of Men".

Mas "The Prestige" é sem dúvida um dos melhores filmes do ano. Com personagens, muito bem dramatizados, interpretados e cativantes, longe do que vêmos habitualmente nas salas de cinema, com uma subtileza incrível e uma química incomparável, e um desempenho dos actores muito acima da média, sendo que Scarlett Johansson é a cereja no topo do bolo.

Não é, apenas "um duelo de mágicos". É a batalha de dois homens, pela sua paixão, que testa incrivelmente os limites do próprio ser humano, mostrando que a fronteira entre o possível e o impossível pode ser bastante ténue.

Até onde estariam dispostos a levar uma obssesão?... Conseguiriam parar, ou seriam consumidos por ela? E a vingança? Até que ponto iriam para a satisfazer?

E o final é... surpreendente.

Um dos melhores filmes do ano. Inteligente, sublime e com um toque de magia.

 

(9/10)

 

Memorable Quotes

 

[last lines]
Cutter: Now you're looking for the secret... but you won't find it because you're not really looking. You don't really want to know the secret... You want to be fooled.

 

Sarah: No more lies. No more secrets.
Alfred Borden: Secrets are my life.

 

[repeated line]
Alfred Borden: Are you watching closely?

 

Nikola Tesla: Have you considered the cost of such a machine?
Rupert Angier: Price is not an object.
Nikola Tesla: Yes, but have you considered the *cost*?

 

publicado por RJ às 20:06
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Terça-feira, 19 de Dezembro de 2006

Happy Feet

 

Premissa: Mumble é um pinguim imperador. Mas ao contrário dos outros pinguins imperadores, cuja capacidade de cantar é essencial para atrair uma fêmea, Mumble não sabe cantar... Mas dança muito bem!

A partir daqui irá iniciar uma viagem para provar que ser diferente, nem sempre é mau.

 

Veredicto: O argumento, até aqui poderia não parecer suficientemente apelativo... Mas a verdade é que o é! "Happy Feet" é decididamente a melhor animação do ano, e consegue, com uma história simples, invocar ideias de amizade, amor e ecologia.

O personagem com que todos nos relacionamos... perdido... diferente. A rapariga, perfeita, mas tão distante... A comunidade, sempre tão crítica a coisas novas e sem procurar ignorar velhos costumes. Os amigos, que só gostam de viver a vida ao máximo, e com um enorme sentido de amizade, sabendo animar-nos nos piores momentos (tem de haver sempre um grupo de personagens com quem simpatizamos... e neste caso são "Los Amigos"). E o "guru", Lovelace, outro personagem com quem a audiência simpatiza, o "tipo bacano" a quem todos pedem conselho. Tudo isto, pinguins, mais bem caracterizados do que muitos humanos no cinema...

Quanto à animação propriamente dita, não tem um só defeito, captando paisagens incríveis do Árctico, e afins. Tem toques da "velha animação", como o estilo puramente musical (vá lá que são poucas as músicas em português na versão portuguesa). E, à semelhança de tantas outras animações do momento, não é para crianças. Não é feito à base de gags, com o único propósito de fazer sorrir os mais novos, e na sala de cinema onde vi o filme, muitos foram os jovens a abandonar as cadeiras.

"Happy Feet"  recorda-nos o amor, a amizade a coragem, e lembra-nos que enquanto estamos aqui no nosso pequeno mundo, existem muitos animais com problemas causados pelos "humanos"...

(e sim... é certo que os pinguins estão na moda)

 

(7.5/10)

 

Memorable Quotes

 

Ramón: We got personality, with a capital Y. Why? Because we're hot!

 

Raul: What you huggin me for?
Ramón: He told me to.
Raul: Get away.
Ramón: No, you like it!

 

Lovelace: Ladies, please avert your eyes... 'cause I've been known to hypnotize.

 

Ramón: You know, chica chica, boom boom.
Mumble: You are not interested in chicas?
Ramón: You kididing? Without us the chicas got no boom
[laughing]

 

 

publicado por RJ às 21:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 16 de Dezembro de 2006

Eragon

 

Premissa: Um rapaz de 17 anos encontra na floresta uma pedra azul que descobre ser um ovo de dragão. Guiado por Brom, o contador de histórias da aldeia, e sempre acompanhado pelo seu dragão, Eragon irá combater as forças do terrível Rei Galbatorix e do pérfido Espectro Durza para salvar Alagaesia.

 

Veredicto: O livro, é bom. E aconselho que o leiam. Por ter gostado, as minhas expectativas quanto a este filme foram elevadas...

Dar a realizar, o primeiro daquela que prometia ser a nova trilogia de aventura e fantasia, a brilhar no cinema, a um realizador estreante, que praticamente só fez efeitos especiais, foi um erro crasso.

Os actores nem foram totalmente maus, com destaque para Jeremy Irons e Robert Carlyle... Já Speelers, ficou abaixo da média... Durza podia ter sido muito mais desenvolvido, mas sempre que apareceu, apareceu bem, fazendo um bom papel de vilão. E claro, temos a Joss Stone, que deve ter pago a alguém para fazer aquela aparição de 30 segundos...

O filme decorre àquilo a que eu gosto de chamar "velocidade relâmpago". As cenas decorrem em catadupa, mostrando uns flashes de colinas e montanhas e o argumento é demasiado linear. Falta... densidade. Alguns personagens como Murtagh e Galbatorix, que, nem aparece no livro, aparecem sem dar tempo para serem explorados... e o que eles tinham para explorar!

O dragão... Continuo a achar que as penas lhe fazem mal, mas está bom. A cena de batalha, parece que foi metida à "pressão", com algum fogo-de-artifício, mas sem dar tempo ao espectador para compreender o que se está a passar. Já o duelo entre Eragon e Durza foi bom, assim como as cenas de voo, sendo uma das melhores cenas de acção do ano, mas Durza merecia ter perdurado na trilogia...

Peter Jackson tinha feito deste, um filme excelente, ainda para mais com o material que havia ao dispôr... A ver se conseguem dinheiro para fazer a sequela, e superar este primeiro capítulo.

Para ver... Mas sem esperar muita profundidade.

 

(6/10)

 

Memorable Quotes

 

[from trailer]
Durza: There is no one left for you to fear, my king.

[from trailer]
King Galbatorix: As long as I am King, disloyalty will be punishable by death.

[from trailer]
Brom: Magic comes from dragons and flows through the Riders who command them.

publicado por RJ às 00:32
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Domingo, 26 de Novembro de 2006

Casino Royale

Movie Poster Image for Casino Royale

 

Premissa: O agente secreto mais famoso do mundo está de volta, num retrato da primeira missão de James Bond, agora interpretado por Daniel Craig.

Bond terá de participar num torneiro de póquer no Casino Royale em Montenegro, organizado por El Chiffre, responsável por financiar grupos terroristas.

Pelo caminho, Bond encontra Vesper Lynd (Eva Green) e entre ela e Bond irá desenvolver-se uma muito intensa relação...

 

Veredicto: É de notar a enorme "Campanha Anti-Craig" que antecedeu este filme, e que agora resulta em grandes elogios e aplausos ao mesmo.

Bond já não é o agente charmoso a que todos se habituaram, agora é violento, negro e duro. E estas novas características, conseguem ao mesmo tempo dar-lhe uma faceta mais humana e credível, pois debaixo da armadura de agente secreto, está um homem capaz de sofrer, apesar de tentar que ninguém o veja. E ele sofre. Mais do que em qualquer outro filme...

Esqueçam os gadgets, os carros invisíveis, os vilões com planos megalómanos, algo relacionados com espiões russos e satélites, agora a ameaça jão não é o perigo do Universo e o vilão, bem... É só um bandido, sem querer destruir cidades nem nada que se pareça. Financia e recebe, e existe sempre alguém mais poderoso por detrás.

As cenas de acção... Bem, essas continuam lá, oferecendo um grande espectáculo de pirotécnia. Esta é uma nova visão de Bond, uma visão "à Daniel Craig". Não direi que é o melhor Bond de sempre, pois para mim, é impossível comparar este aos outros, mas direi que é um novo começo. O começo de Bond e o começo de uma nova Era na carreira da personagem.

O genérico incial está muito bom, como sempre, a música, não é a melhor, mas também está boa, a Bond-girl já não é um mero adereço na paisagem, mas uma personagem mais complexa, e Eva Green merece todos os destaques... Bond já não é o tipo "cheio de classe", sempre esquisito com o seu martini... Acham que ele se importa que venha batido ou mexido?

 

(8/10)

 

Memorable Quotes

 

Vesper Lynd: You're not going to let me in there. You've got your armour back on.
James Bond: I have no armour left. You've stripped it from me. Whatever is left of me - whatever I am - I'm yours.

 

[last lines]
James Bond: Bond, James Bond

publicado por RJ às 12:03
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 18 de Novembro de 2006

16 Blocks

 

 

Premissa: Jack Mosley (Bruce Willis) é um detective veterano que é encarregue de levar Eddie (Mos Def), uma testemunha, a depôr no tribunal, tendo de atravessar 16 quarteirões da cidade de New York em mais ou menos duas horas...

Parecia um trabalho simples, como outro qualquer, entregue a um polícia que já não esperava nada na sua carreira, mas quando colegas de Mosley tentam assassinar a testemunha, este percebe que acaba de entrar num jogo, muito mais complicado do que aquilo que imagina...

 

Veredicto: Sinceramente, estava até relutante em ver este filme... Bruce Willis parecia já não ter idade para se meter nestas coisas... Mas mesmo assim fui... E sabem que mais? Gostei.

Ainda que não parecesse, Willis prova não estar assim tão velho e a sua personagem adapta-se-lhe perfeitamente... Um policía veterano, cansado, alcoólico, sem esperar mais nada da sua carreira, adaptado ao seu dia-a-dia, que se vê obrigado a fugir aos seus próprios colegas, para proteger alguém que era para ele um "zé-ninguém"...

O argumento está muito bom, fazendo com que este "16 Blocks" não seja só "um policial qualquer", os diálogos estão muito bem desenvolvidos, as personagens bem caracterizadas, e o ritmo do filme é sempre frenético (tipo "24"), mantendo o espectador preso à cadeira até ao último momento. Não tem nenhuma "cena memorável" mas as perseguições por New York, estão muito bem filmadas, em "jeito de documentário" como agora é costume, e que fica muito bem.

O policía (Willis) e o ladrão (Def) fazem uma excelente dupla, o que acaba por se tornar na força do filme. E a meu ver, Willis ainda tem muito para dar ao cinema!

 

(7.5/10)

 

Memorable Quotes

 

Frank Nugent: [after the shootout in Chinatown, Nugent is talking to Mosley through the door] You Still There, Jack?
Jack Mosley: Yeah, I'm Still Here.

 

Jack Mosley: Days change, seasons change, people don't change.

publicado por RJ às 22:45
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 11 de Novembro de 2006

The Departed

Movie Poster Image for The Departed

 

Premissa: Billy Costigan (Leonardo DiCaprio) vê como a sua única oportunidade de fazer parte da polícia de Boston, tornar-se um infiltrado no grupo de Frank Costello (Jack Nicholson), que domina o submundo do crime.

Mas Costello tem também um homem infiltrado na polícia de Boston, Colin Sullivan (Matt Damon), e quando ambos os infiltrados tentam saber a identidade um do outro, o jogo do gato e do rato começa a complicar-se...

 

Veredicto: Na indústria do cinema existe já uma certa aversão a remakes... E convenhamos, na maior parte dos casos, os resultados não são assim muito bons... Mas quando o realizador é Martin Scorsese as coisas só podem estar bem encaminhadas... E com um elenco de luxo, então é que começam a não restar dúvidas quanto ao êxito do filme, e é caso para dizer, que não existe razão para alarmes, dado que "The Departed" supera muitos filmes que estrearam este ano...

Martin Scorsese afirmou-se como um dos principais realizadores da actualidade. Devido ao seu conhecimento profundo do Cinema em si, tem uma grande perspectiva de, como fazer um bom filme, e fá-lo. Depois dos sucessos de "Gangs of New York" e "The Aviator", ambos bons filmes, Scorsese presenteia-nos com um dos melhores de 2006.

Quanto ao argumento, não há nada a apontar, pois todo o enredo está perfeito, tendo uma grande teia de conspiração, crime e corrupção, voltas e reviravoltas, personagens muito bem construídos e caracterizados, (com destaque para as representações do trio protagonista, e não só...) um filme que... enfim... nos deixa agarrados até ao último minuto... E minuto esse que se prevê recheado de surpresas... 

DiCaprio, é sinceramente, a meu ver, um grande candidato ao Oscar de Melhor Actor, pela sua personagem, que procura a todo o custo uma identidade... algum reconhecimento e acima de tudo uma vida própria, vivendo constantemente atormentado por dúvidas e medos, e pelo facto de já não ter ninguém a quem recorrer, por toda a sua vida ser um vazio, que ele preencheu tentando ser um polícia e acabando por assumir uma fachada, dia após dia, de alguém muito diferente de si mesmo...

Que mais há para dizer deste filme?... Bem, Nicholson continua a dar um toque de mestre em todos os filmes onde aparece, e a Banda Sonora é também ela, excelente...  

(será que é desta vez que o Oscar vem parar às mãos de Scorsese?)

 

(8/10)

 

Memorable Quotes

 

Frank Costello: When I was your age they used to say you could become cops or criminals. What I'm saying to you is this... When your facing a loaded gun, what's the difference?

 

Frank Costello: I don't wanna be a product of my environment, I want my environment to be a product of me.

 

Billy Costigan: No, I gotta get out. I can be doing this anymore. You know what's gonna happen?
Oliver Queenan: What?
Billy Costigan: I know he's gonna find out who I am and he's gonna fucking kill me.
Oliver Queenan: I'm really sorry... I swear to God I am. I'll get you out of this. It won't be immeadiatly but I will get you out. Two weeks at most.

 

publicado por RJ às 22:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 30 de Outubro de 2006

Lady in the Water

 

Premissa: Cleveland é um homem comum, que trabalha num condomínio, onde um dia trava conhecimento com Story, uma narf vinda do Mundo Azul, que ele terá de ajudar...

 

Veredicto: Este foi um dos filmes mais aguardados do ano, e o facto de ser realizado e escrito por M. Night Shyamalan só contribuiu para alargar a expectativa... Expectativa essa, da qual eu fui alvo.

Para muitos foi um fracasso. Para alguns foi bom, mas não o melhor de Shyamalan. Para outros foi brilhante.

O certo é que este foi sem dúvida o filme mais arriscado de Shyamalan, pois é aquele que mais depende da fantasia. Ora para algo, com fundo fantástico ter resultado, é necessário conseguir que o espectador se desprenda da sua realidade e esteja disposto a entrar, e a conhecer as "regras" de um "novo mundo" (e parece-me que o microfone não contribuiu muito para isso...). Por esta, e talvez outras razões, a crítica americana não gostou do filme, pois por vezes o espectador tem dificuldade em estar disposto a "entrar na fantasia", quando é abordado com nomes e criaturas saídas de uma bedtime story.

 Para gostar deste filme, é necessário vermos a sensibilidade, drama e talvez até crítica social, por detrás de todo um argumento, deveras invulgar. E deveras invulgares são as criaturas feitas de relva, saídas do mundo de Story...

Para mim, este foi um filme bastante bom. Com uma fotografia belíssima e um desempenho dos actores fantástico. Um argumento que nos leva até às profundezas da fantasia e que ao mesmo tempo nos ensina algo sobre nós próprios.

 

(8/10)

 

Memorable Quotes

Anna Ran: He's hearing the voice of God through a crossword puzzle!

 

Vick: I don't know who you are, but you did something to me... to my thoughts.

publicado por RJ às 21:30
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 28 de Outubro de 2006

Children of Men

 

Premissa: No ano de 2027, o mundo vive o caos devido a um problema de infertilidade que ameaça a continuidade da vida humana no planeta.

Theo (Clive Owen), vive numa Londres apocalíptica, até ao dia em que conhece aquela que pode ser a única esperança da humanidade.

 

Veredicto: Para mim, este é um dos grandes filmes do ano, o desempenho de Clive Owen, é muito bom, e Alfonso Cuáron faz um filme que respira e expira mestria por todo o lado.

Com uma fotografia fabulosa, Cuáron conseguiu representar com excelência, uma visão apocalíptica do futuro, desde uma Londres em constante conflito com a vaga de imigrantes e refugiados, até à batalha pela sobrevivência, que é o final do filme.

A única coisa que vai fazer com que este filme não seja o mais visto da semana, é porque não tem aquilo que a maior parte do público de cinema aprecia. Um festival de pipocas, onde a acção é distribuída por segundo e o nível dramático é nulo. Onde existe um herói e um vilão e ambos se confrontam numa batalha final cheia de pirotécnia...

Um blockbuster. E "Children of Men" não é um blockbuster, mas não deixa por isso de ser um dos melhores filmes do ano. E mostra-nos que ninguém precisa de uma grande arma para ser um herói, e o protagonista não faz uso de nenhuma arma, mas não deixa por isso de ser um herói. Pois que herói atravessaria um campo de batalha onde explodem bombas por minuto, protegendo com os seus braços, uma jovem e um recém-nascido? "Children of Men" mostra-nos que ninguém precisa de capa e espada, sabre-laser ou qualquer outra arma, para ser, um herói.

"Children of Men" assume-se assim como um dos grandes filmes do ano. Altamente recomendável.

 

(9/10)

 

Memorable Quotes

 

[from trailer
Thedore Faron: I can't really remember when I last had any hope, and I certainly can't remember when anyone else did either. Because really, since women stopped being able to have babies, what's left to hope for?

 

 [from trailer]
Jasper: Your baby is the miracle the whole world has been waiting for.

 

 

publicado por RJ às 20:14
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

.Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. The Prestige

. Happy Feet

. Eragon

. Casino Royale

. 16 Blocks

. The Departed

. Lady in the Water

. Children of Men

.Filme da Semana

Uploaded with ImageShack.us

.arquivos

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds